Meu nome é Maria
Sou casada há muitos anos
Tenho dois filhos e estou grávida
E tinha tantos sonhos
Acordo cedo todo dia
Preparo a comida e cuido das crianças
Corro atrasada para trabalhar
Sonhando com novas esperanças
Chego em casa quando o sol se põe
Meu marido logo chega do bar
Todo dia vai lá se embebedar
E logo sei “vou apanhar…”
Quase todo dia eu apanho
Quando ele bebe já vem me maltratar
Me calo e engulo as lágrimas
Para meus filhos não me verem chorar
Depois pede perdão e diz que ama
Que perdeu a cabeça e isso não irá mais acontecer,
Sinto que sou “posse” dele,
E se eu o largar o que vou fazer?
Algumas pessoas me aconselham
Dizem que casamento é para a vida inteira
E que brigas são normais ocorrer
Então choro sozinha em minha cabeceira…
Dou a vida pelos meus filhos
Minto, escondo as cicatrizes
Tento mostrar para todas as pessoas
O quanto somos felizes
Penso em sumir, vou mudar de vida
Eu digo a ele que vou abandoná-lo.
Ele retruca “estou fazendo papel de homem,
E nessa casa só eu posso mandar!”
Vou vivendo submissa á ele
Penso “como vou conseguir me manter
grávida e com dois filhos,
Onde vou morar e o que vou ter para comer?”
Cada dia ele está mais agressivo
E hoje disse que me ama e vamos passear
Só me lembro de acordar no hospital
Depois de ele tentar me matar…
Depois disso me prometeu que iria mudar
Que nunca mais iria me maltratar
Ouvi na TV que todos os dias dez mulheres morrem
E decidi que minha vida iria salvar!
Meu nome é Maria
Sobrenome Coragem
Sou mulher e forte
Sexo frágil é bobagem
Nunca acreditem em um falso amor
Isso é um caminho sem volta,
Pois, quem ama não mata, não machuca,
Não maltrata…

Leia também:

Back to Top